domingo, 24 de fevereiro de 2013

Vanguardas Européias

Guernica (1937) Picasso

A palavra “vanguarda” vem do francês avant-garde (termo militar que designa o pelotão que vai à frente). Desde o início do século 20, designa aqueles que, no campo das artes ou das ideias, está à frente de seu tempo. Os movimentos de vanguarda emergiram na Europa nas duas primeiras décadas do século 20 e provocaram ruptura com a tradição cultural do século 19. Foram extremamente radicais e influenciaram manifestações artísticas em todo o mundo.
Muitos outros artistas e movimentos artísticos posteriores, por sua atitude semelhante a das vanguardas europeias canônicas, poderiam ser referidos pelo termo vanguarda, sendo usual, porém, utilizarmos o termo somente para os artistas participantes daquelas, especialmente para fins didáticos.
A expressão começou a ser usada na década de 1860, por ocasião do Salon des Refusés (O Salão dos Recusados). Este foi o nome dado a uma exposição paralela ao Salon de Paris, em 1863. No Salon des Refusés foram expostas as obras de arte recusadas no salão oficial, que era destinado aos artistas membros da Real Academia Francesa de Pintura e Escultura.
A exposição paralela foi organizada por determinação do imperador Napoleão III, em resposta aos fortes protestos dos artistas recusados. Acabou atraindo grande público, que visitou a mostra disposto a ridicularizar as obras dos recusados, dentre eles Manet e Cézanne. Apesar da reação desfavorável aos trabalhos expostos, o Salon des Refusés passou a ser um forte concorrente ao salão da academia e, a partir daquele ano, muitos artistas passaram a organizar exposições independentes, dentre eles, destacam-se os impressionistas, em 1874.
Como citado acima, o termo vanguarda pode se aplicar a qualquer movimento que proponha uma nova visão da arte. No entanto, costuma-se associá-lo principalmente aos movimentos ocorridos no período pós-impressionista e anterior à pós-modernidade. Nesse caso, costuma-se classificá-los em vanguardas positivas e vanguardas negativas, embora muitos movimentos ( como Expressionismo e Fauvismo) fujam a esta divisão. As cinco principais correntes vanguardistas foram: futurismo, cubismo, dadaísmo, expressionismo e surrealismo.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Arte do Egito Antigo


A arte egípcia refere-se à arte desenvolvida e aplicada pela civilização do antigo Egito localizada no vale do rio Nilo no norte da África. Esta manifestação artística teve a sua supremacia na religião durante um longo período de tempo, estendendo-se aproximadamente pelos últimos 3000 anos antes de Cristo, demarcando diferentes épocas e influenciando as diferentes variedades estilísticas adotadas: Período Arcaico, Império Antigo, Império Médio, Império Novo, Época Baixa, Período Ptolemaico e vários períodos intermédios, mais ou menos curtos, que separam as grandes épocas, e que se denotam pela turbulência e obscuridade, tanto social e política como artística.

No século XIX escavações sistemáticas trouxeram à luz obras capazes de fascinar investigadores, colecionadores e mesmo o olhar amador. A partir do momento em que se decifram os hieróglifos na Pedra de Roseta é possível dar passos seguros a caminho da compreensão da cultura, história, mentalidade, modo de vida e naturalmente da motivação artística dos antigos egípcios.

Motivação e objetivos

A arte do antigo Egito serve políticos e religiosos. A figura do faraó é tida como representante de deus na Terra e é este seu aspecto divino que vai vincar profundamente a manifestação artística. Deste modo a arte representa, exalta e homenageia constantemente o faraó e as diversas divindades da mitologia egípcia, sendo aplicada principalmente a peças ou espaços relacionados com o culto dos mortos. O faraó é considerado imortal e todos seus familiares e altos representantes da sociedade têm o privilégio de poder também ter acesso à outra vida. Os túmulos são, por isto, os marcos mais representativos da arte egípcia e lá são depositadas as múmias ou estátuas (corpo físico que acolhe posteriormente a alma, ka) e todos os bens físicos do cotidiano que lhe serão necessários à existência após a morte.
Nesse contexto social teve início com o soberano Djoser o Antigo Império (3200-2200 a. C.) Esse faraó exerceu o poder autoritariamente e transformou o Baixo Egito, com a capital em Mênfis, no centro mais importante do reino. Desse período, a pirâmide de Djoser, construída pelo arquiteto Imotep, é talvez a primeira construção egípcia de grandes proporções.
  
Mas são as pirâmides do vale de Gizé as obras arquitetônicas mais famosas. Foram construídas por importantes reis do Antigo Império: Quéops, Quéfren e Miquerinos. A maior, a de Quéops, tem 146 metros de altura e ocupa uma superfície de 54300 metros quadrados. Junto a essas três pirâmides está a esfinge mais conhecida do Egito. Com 20 metros de altura e 74 metros de comprimento ela representa o faraó Quéfren.
 Estilo e normas

Todas as representações artísticas estão repletas de significados que ajudam a caracterizar figuras, a estabelecer níveis hierárquicos e a descrever situações. A harmonia e o equilíbrio devem ser mantidos, qualquer perturbação neste sistema é, consequentemente, um distúrbio na vida após a morte. Para atingir este objetivo de harmonia são utilizadas linhas simples, formas estilizadas, níveis retilíneos de estruturação de espaços, manchas de cores uniformes que transmitem limpidez e às quais se atribuem significados próprios.
A hierarquia social e religiosa traduz-se, na representação artística, na atribuição de diferentes tamanhos às diferentes personagens, conforme a sua importância. Como exemplo, o faraó será sempre a maior figura numa representação bidimensional e a que possui estátuas e espaços arquitetônicos monumentais. Reforça-se assim o sentido simbólico, em que não é a noção de perspectiva (dos diferentes níveis de profundidade física), mas o poder e a importância que determinam a dimensão.


Definia que a representação possuía só três pontos de vista pela parte do observador: de frente, de perfil e de cima. O corpo humano, especialmente o de figuras importantes, é representado utilizando dois pontos de vista simultaneos, os que oferecem maior informação e favorecem a dignidade da personagem: os olhos, ombros e peito representam-se vistos de frente; a cabeça e as pernas representam-se vistos de lado. O fato de, ao longo de tanto tempo, esta arte pouco ter variado e se terem verficado poucas inovações, deve-se aos rígidos  cânones e normas a que os artistas deveriam obedecer e que, de certo modo, impunham barreiras ao espírito criativo individual.

A manifestação artística que ganhou as mais belas representações no Antigo Império foi a escultura. Apesar de possuir também muitas convenções, a escultura pode revelar dados pessoais do retratado: sua fisionomia, seus traços raciais e sua condição social. Porém, durante o Médio Império (2000 a 1750 a. C.) o convencionalismo voltou a produzir esculturas e retratos estereotipados que representam a aparência ideal dos seres – principalmente dos reis- e não seu aspecto real.



Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Disponível em:pt.wikipedia.org/wiki/Arte_do_Antigo_Egito
História da Arte – Graça Proença


  

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Dezoito Luas



Sinopse - Dezoito Luas - Beautiful Creatures #3 - Kami Garcia, Margaret Stohl

Ethan Wate pensou que ele estava se acostumando com os estranhos, acontecimentos impossíveis acontecendo em Gatlin, sua pequena cidade do sul. Mas agora que Ethan e Lena voltaram para casa, estranho e impossível assumiram novos significados.

Enxames de gafanhotos, recorde de calor e tempestades devastadoras devastam Gatlin enquanto Ethan e Lena lutam para entender as causas desse impacto.

Mesmo família de Lena de supernaturais poderosos é afetada - e suas habilidades começam a falhar perigosamente. Com o tempo, uma questão torna-se clara: o que - ou quem - terá de ser sacrificado para salvar Gatlin.

Para Ethan, o caos é uma distração assustadora, mas bem-vindo. Ele está sendo perseguido em seus sonhos de novo, mas desta vez não é por Lena - e tudo o que está assombrando ele está seguindo-o para fora de seus sonhos e em sua vida cotidiana. Ainda pior, Ethan está gradualmente perdendo pedaços de si mesmo - esquecendo nomes, números de telefone, mesmo memórias. Ele não sabe por que, e na maioria dos dias ele está com muito medo de perguntar. Às vezes, não há apenas uma resposta ou uma escolha. Às vezes não há como voltar atrás. E desta vez não haverá um final feliz.

O lançamento de Dezoito Luas está previsto para Fevereiro desse ano, pela editora Galera Record.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013


"Que a felicidade vire rotina."

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Dia da Amizade



A amizade é um amor que nunca morre.


Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos.


A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor.


A amizade é o conforto indescritível de nos sentirmos seguros com uma pessoa, sem ser preciso pesar o que se pensa, nem medir o que se diz.




quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013



Quem, de três mil anos, não é capaz de se dar conta, vive na ignorância, na sombra, à mercê dos dias, do tempo.

Johann Goethe

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Banidos - Livro 1 - Sophie Littlefield


Não há muitas coisas pelas quais valha a pena viver em Gypsum, Missouri, ou Trashtown, como os garotos ricos costumam chamar o bairro decadente onde mora Hailey Tarbell, dezesseis anos. Hailey acha que nunca vai se ajustar, nem com os garotos populares da escola, não com os rejeitados, nem mesmo com a avó cruel e doente que vende drogas no porão de sua casa. 

Hailey não conheceu a mãe, já morta, e não tem idéia de quem era seu pai, mas pelo menos ela tem o irmão adotivo de quatro anos de idade, Chub. Quando fizer dezoito anos, Hailey planeja levar Chub para longe de Gypsum e começar uma nova vida onde ninguém possa encontrá-los. Mas quando uma colega se machuca na aula de ginástica, Hailey descobre o dom de cura que ela nunca soube possuir e que não pode mais ignorar. Ela não só é capaz de curar, como pode trazer de volta à vida pessoas que estão morrendo. 

Confusa com seus poderes, Hailey procura respostas, mas encontra apenas mais perguntas, até que uma misteriosa visitante aparece na casa de sua avó alegando ser Prairie, sua tia. Há pessoas dispostas a tudo para manter Hailey em Trashtown, vivendo um legado de desespero e sofrimento. Mas quando Prairie defende Hailey e Chub de invasores armados que invadem a casa de sua avó no meio da noite, Hailey precisa decidir onde colocará sua confiança. Serão o passado de Prairie e o segredo que ela enterrou há muito tempo, e que a levou a deixar Gypsum anteriormente, capazes de arruinar todos eles? Porque, como Hailey vai descobrir logo, seu poder de curar é apenas o começo.

Este suspense emocionante da escritora Sophie Littlefield traça um caminho de uma pequena cidade do Missouri até a cidade grande, enquanto Hailey enfrenta um mal maior do que ela jamais imaginou e descobre poderes que nunca soube que tinha.

Ahmnat - Os Amores da Morte - Julien De Lucca



O que pode acontecer quando Morte e Destino brincam com o sentimento mais perigoso? Ahmnat é uma garota egípcia que, após uma vida cheia de turbulências, tristezas e mágoas, assume o cargo de Morte e passa a viver entre este mundo e o além-vida.

Porém ela não está sozinha. Logo conhece Destino, responsável por escrever as vidas mortais, que fica surpreso e abismado ao vê-la no lugar de poderosa entidade.

Destino propõe, então, um sádico jogo a Ahmnat: criará dez vidas mortais, humanos bem especiais, para tentar fazê-la se apaixonar por eles. Se Ahmnat se apaixonar por qualquer um, ela volta para a Terra como mortal novamente, dando a oportunidade de Destino reescrever sua vida. Caso contrário, será Destino quem se tornará mortal, permitindo que Morte venha buscá-lo pessoalmente.

- Espinho de Ferro - Trilogia Código de Ferro - Livro 01 - Caitlin Kittredge



Prestes a completar 16 anos, Aoife Grayson sabe que seu tempo está se esgotando. Afinal, em sua família, todos enlouqueceram nessa idade, incluindo sua mãe e seu irmão mais velho Conrad. 

O futuro da menina parece triste, até o dia em que ela recebe uma misteriosa carta, que reconhece ter sido escrita por Conrad, e decide tentar lutar contra sua estranha herança familiar.

Primeiro volume da trilogia O Código de Ferro, Espinho de Ferro foi um dos indicados ao título de melhor livro de 2011 pelo site americano GoodReads.

Gata Branca - Mestres da Maldição - Livro 01 - Holly Black


Cassel vem de uma família de mestres da maldição – pessoas que têm o poder de mudar emoções, memórias e destinos com o mais leve toque das mãos. Mas fazer isso é ilegal, o que significa que todos eles são criminosos. Exceto Cassel. Ele não tem o toque mágico, está de fora: é o único filho normal em uma família paranormal. O único detalhe é que matou sua melhor amiga. 

Tentando fugir de seu terrível passado, Cassel faz de tudo para ser como os outros garotos. Uma noite, porém, tudo vai por água abaixo: depois de sonhar repetidas vezes com uma estranha gata branca, um ataque de sonambulismo o põe em perigo e ele começa a achar que seus irmãos estão escondendo mais do que alguns segredos.

Desconfiado de que não passa de uma pequena peça de um grande golpe, Cassel começa então a fazer uma busca em seu passado e em suas memórias, que parecem lhe fugir. Para desvendar os mistérios de sua vida, ele vai precisar armar um verdadeiro golpe de mestre.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Tarja Turunen


Tarja Turunen Soile Susanna Cabuli (nascida em 17 agosto, 1977), às vezes chamada de Tarja Turunen, é uma cantora e compositora finlandesa. Uma soprano lírico com um alcance vocal de três oitavas.

Turunen estudou canto na Academia Sibelius e Hochschule für Musik Karlsruhe. Ela é conhecida como uma cantora profissional clássica, mas é mais conhecido como a ex-vocalista da banda finlandesa de metal sinfônico Nightwish, que ela fundou com Tuomas Holopainen e Erno Vuorinen em 1996. Seu estilo metal sinfônico, logo apelidado de "Metal Opera", inspirou muitas outras bandas de metal e cantores.

Entre 2000 e 2001, o Nightwish lançou Wishmaster e sobre as colinas e Far Away e excursionou pela Europa e América do Sul. Durante o Mundial Wishmaster Tour, Turunen conheceu o empresário argentino Marcelo Cabuli com quem se casou em 2003.

Para o Natal de 2004, Tarja lançou seu primeiro single solo, intitulado " Yhden Enkelin Unelma "(Sonho de Um Anjo), que vendeu o ouro em seu país natal, a Finlândia. No Natal de 2005, fez uma reentrada em uma posição nos gráficos finlandeses . Na primavera de 2005, ela preparou o dueto "Leaving You for Me", uma colaboração com Martin Kesici , acompanhado por um vídeo.

Turunen foi demitida da banda em 21 de outubro de 2005 por motivos pessoais. Ela começou sua carreira solo em 2006 com o lançamento de um álbum de Natal chamado Henkäys Ikuisuudesta . Em 2007, Tarja lançou My Winter Storm , um álbum com vários estilos, incluindo rock alternativo e metal sinfônico e iniciou o World Tour tempestade . Em 2010 lançou seu terceiro álbum, What Lies Beneath.

Ela realizou vários concertos na Europa, tocando em festivais de metal antes de iniciar o What Lies Benesth World Tour, que durou até 8 de abril de 2012.

Seu primeiro DVD ao vivo Ato I foi filmado durante a turnê em 30 de março e 31 de março de 2012 em Rosario, Argentina. Ato I foi lançado em 24 de agosto de 2012.

Em março de 2012 Tarja ganhou o título de melhor artista da Europa crossover com mais de 100.000 votos.