quarta-feira, 4 de julho de 2012

Fernando Botero



Fernando Botero (Medellín, 19 de abril de 1932) é um pintor e escultor colombiano.

A sua obra possui perto de três mil pinturas e ainda mais de duzentas esculturas, assim como inúmeros desenhos e aquarelas. Suas primeiras obras exprimem um caráter expressionista, mas foi após anos de aprendizagem e de inúmeras viagens, que ele adquiriu o estilo pelo qual ficaria famoso: “as imagens que se tornaram símbolos da cultura crioula moderna da América Latina”. O núcleo do seu trabalho denota uma experiência existencial da sua origem e cultura, mas também apresenta características universais. Botero salientava que isto só era possível “porque o artista é universal apenas quando está fortemente enraizado na própria comunidade onde nasceu”. Suas obras destacam-se sobretudo por figuras rotundas, o que pode sugerir a estaticidade da humanidade. Percebe-se a sua escultura como uma crítica social, especialmente no que diz respeito à ganância do ser humano.

Quando questionando sobre porquê de pintar pessoas gordas,  aponta o fato de que outras coisas também o são e ressalta que usa essa técnica para enfatizar a transformação ou deformação, transformando a realidade em arte. Esse exagero repetitivo torna uma deformação uma regra, que depois se transforma em estilo, visando acentuar a sensualidade das imagens. O volume deixa claro sua predileção formal pelos valores plásticos de arte clássica.

Apesar dessa rudeza de tamanhos, seu estilo expansivo retira de seus desenhos a crueldade e o extremismo, sendo o volume exagerado à mágica que transforma a vida e o mundo em realidade flutuante que dá leveza às suas formas: “gordas”. O pintor diz que tal inquietude é apenas inquietude estética, com grande paixão por formas e cores. Para ele, beleza é perfeição formal no que diz respeito à composição formal, cor e técnica. Botero também rejeita a sombra, pois alega que a plasticidade de suas obras é criada através da cor. 

Nos anos 50 estudou em Madri, onde acrescentou os mestres espanhóis a seu interesse por arte pré-colombiana, colonial espanhola e pelos temas políticos do muralista mexicano Diego Rivera.

Sua primeira exposição foi em 1951, em Bogotá, mas a sua formação teve início em 1953, quando ingressou na Academia de San Marco, em Florença, para estudar técnicas de afresco e assimilou algo da arte renascentista.

São famosas suas releituras da obra de Jan van Eyck, O Casal Arnolfini, onde recriou o quadro, com formas redondas, assim como fez com a famosa Mona Lisa de Leonardo da Vinci. Botero é um homem muito famoso e ídolo de artistas que hoje mesmo são também famosos. A pintura figurativa é também um estilo seu inconfundível, apesar de estar numa época dominada pela abstração.
                         
                                   Releitura do casal Arnolfini
                                                            Releitura da Mona Lisa








Nenhum comentário:

Postar um comentário