terça-feira, 31 de julho de 2012

Supermassive black hole Paramore



Paramore

Paramore  é uma banda americana de rock alternativo, formada em Franklin, Tenessee no ano de 2004. A banda já lançou três álbuns de estúdio: All We Know Is Falling, Riot! e Brand New Eyes, e permaneceu praticamente sem alterações dos membros de 2004 a 2010. Os membros consistem em: Hayley Williams, Jeremy Davis e Taylor York.

O primeiro álbum da banda All We Know Is Falling foi lançado em 26 de julho de 2005 e alcançou a 2ª posição na Billboard Comprehensive Albums além de ganhar certificação de ouro no Reino Unido por mais de 100 mil cópias vendidas. O segundo álbum Riot! lançado em 12 de junho de 2007 foi o primeiro grande sucesso da banda vendendo mais de 2 milhões de cópias. Riot! também ganhou certificação de platina da Billboard 200 por ultrapassar 1 milhão de vendas.

No TRL da MTV em 7 de maio de 2008 - Williams afirmou que a banda trabalhava em um novo álbum, que seria confiantemente lançado no verão de 2009. Hayley diz que ela e a banda estiveram praticando as novas canções durante as passagens de som na turnê. Em um artigo de capa na Alternative Press, Zac Farro especulava sobre um próximo álbum, dizendo que ele iria soar como bandas Mew, Thrice, e Arcade Fire. Mais tarde o Paramore lançou a canção "Decode", single principal do filme Twilight. Outra canção chamada "I Caught Myself" também entrou na trilha sonora do filme. A banda começou a filmar o vídeo em 13 de setembro de 2008 e a vocalista Hayley Williams postou fotos do set no site oficial. "Decode" foi lançado emº1º  de outubro de 2008 no site do Paramore Fan Club bem como no site de Stephenie Meyer, autora da série de livros baseada no filme.
O terceiro álbum da banda Brand New Eyes lançado em 29 de setembro de 2009 também alcançou boas posições com todos os singles nas paradas musicais. O álbum também ganhou certificação de ouro pela Billboard 200. Em 2010 o Paramore sofreu mudanças e os integrantes e irmãos Josh e Zac que permaneceram na banda com Hayley desde 2004 deixaram a mesma por motivos pessoais.

Membros da banda
 
Hayley Williams – vocal, piano e teclado (2004-presente)
Jeremy Davis – baixo (2004; 2005-presente)
Taylor York – guitarra base (2007-presente) 

 
Membros de turnê 

 
Justin York - guitarra solo e vocal de apoio (2010-presente)
Jon Howard - guitarra base, piano, teclado e vocal de apoio (2010-presente)
Josh Freese - bateria (2011)
Jason Pierce - bateria (2011-presente) 

 
Ex-membros 

 
John Hembree – baixo (2005)
Jason Bynum – guitarra base (2004-2005)
Hunter Lamb – guitarra base (2005-2007)
Josh Farro – guitarra solo e vocal de apoio (2004-2010)
Zac Farro – bateria (2004-2010)



segunda-feira, 30 de julho de 2012

Pirâmide


"Caro dr. Rurherford

Apreciei muito nossa conversa durante o jantar outro dia. Sem querer abusar de sua boa vontade, eu gostaria de continuar nossa conversa sobre mitologias antigas.
Creio que fiz um avanço considerável. Acredito ter descoberto, escondido em todos os mitos e religiões do mundo, uma terrível mensagem vinda do passado. Essa mensagem, que consegui decifrar, é um alerta de um povo extinto a muito tempo - um alerta para nós de que podemos, desta vez, evitar o cataclisma que os destruiu.
É vital para a sobrevivência da humanidade que divulgemos essa mensagem, ou seremos, nós e nosso planeta, vítimas do mesmo cataclismo...".

Assim começa esse excelente romance de mistério: Com uma carta de um homem assassinado.

Pouco antes de ouvir a notícia de sua morte, a jovem professora Catherine Donovan recebe cópias de mapas antigos e uma misteriosa sequência numérica.

Com a ajuda de Rutherford, um especialista em mitologia, ambos mergulham em uma aventura para desvendar as enigmáticas mensagens e pistas deixadas pelo professor Kent numa viagem por fascinantes cenários ao redor do mundo, em uma aventura permeada de mistérios, segredos e suspense e onde os protagonistas precisam levar a sério o lema da Royal Society: Nullius in verba - Não confie na palavra de ninguém.

Pirâmide
Autor: Tom Martin
Editora: Planeta

sábado, 28 de julho de 2012

(Music Video) Last Friday Night (T.G.I.F) - Katy Perry (ft. Taylor Demi Selena Miley)



E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais...

Vinícius de Moraes

Soneto da separação



De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente

Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante

Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.


Vinícius de Moraes

Pela luz dos olhos teus


Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só p'ra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.

Vinícius de Moraes



Não te quero ter porque em meu ser
tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim
como a fé nos desesperados.

Vinícius de Moraes

sexta-feira, 27 de julho de 2012



Nada comunica tanto quanto o silêncio para aqueles que escutam com a alma, sentem com o corpo e enxergam com o coração.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Ryan Astamendi - princesas Disney



O fotógrafo americano Ryan Astamendi reproduziu as clássicas princesas para o livro The Art of the Disney Princess, que reúne vários artistas interpretando as personagens. Antes de ser fotógrafo, Ryan trabalhou durante 18 anos na Disney, no departamento de caracterização dos personagens. As fotos reproduzem com perfeição as roupas, cabelos e maquiagem das princesas e o trabalho é realmente incrível.









O Lutador


Lutar com palavras
é a luta mais vã.
Entanto lutamos
mal rompe a manhã.
São muitas, eu pouco.
Algumas, tão fortes
como o javali.
Não me julgo louco.
Se o fosse, teria
poder de encantá-las.
Mas lúcido e frio,
apareço e tento
apanhar algumas
para meu sustento
num dia de vida.
Deixam-se enlaçar,
tontas à carícia
e súbito fogem
e não há ameaça
e nem 3 há sevícia
que as traga de novo
ao centro da praça.
Insisto, solerte.
Busco persuadi-las.
Ser-lhes-ei escravo
de rara humildade.
Guardarei sigilo
de nosso comércio.
Na voz, nenhum travo
de zanga ou desgosto.
Sem me ouvir deslizam,
perpassam levíssimas
e viram-me o rosto.
Lutar com palavras
parece sem fruto.
Não têm carne e sangue…
Entretanto, luto.
Palavra, palavra
(digo exasperado),
se me desafias,
aceito o combate.
Quisera possuir-te
neste descampado,
sem roteiro de unha
ou marca de dente
nessa pele clara.
Preferes o amor
de uma posse impura
e que venha o gozo
da maior tortura.
Luto corpo a corpo,
luto todo o tempo,
sem maior proveito
que o da caça ao vento.
Não encontro vestes,
não seguro formas,
é fluido inimigo
que me dobra os músculos
e ri-se das normas
da boa peleja.
Iludo-me às vezes,
pressinto que a entrega
se consumará.
Já vejo palavras
em coro submisso,
esta me ofertando
seu velho calor,
aquela sua glória
feita de mistério,
outra seu desdém,
outra seu ciúme,
e um sapiente amor
me ensina a fruir
de cada palavra
a essência captada,
o sutil queixume.
Mas ai! é o instante
de entreabrir os olhos:
entre beijo e boca,
tudo se evapora.
O ciclo do dia
ora se conclui 8
e o inútil duelo
jamais se resolve.
O teu rosto belo,
ó palavra, esplende
na curva da noite
que toda me envolve.
Tamanha paixão
e nenhum pecúlio.
Cerradas as portas,
a luta prossegue
nas ruas do sono.

Carlos Drummond de Andrade

domingo, 22 de julho de 2012

Temporada das Flores - Milena Monteiro


Que saudade, agora me aguardem
Chegaram as tardes de sol a pino
Pelas ruas, flores e amigos
Me encontro vestindo o meu melhor sorriso
Eu passei um tempo andando no escuro
Procurando não achar as respostas
Eu era a causa e a saída de tudo
Eu cavei como um túnel o meu caminho de volta

Me espera amor, que eu estou chegando
Depois do inverno, a vida em cores
Me espera amor, nossa temporada das flores
Eu te trago um milhão de presentes
Que eu achava que já tinha perdido
Mas estavam na mesma gaveta
Que o calor das pessoas e o amor pela vida
Me espera, estou chegando com fome
Procurando campo e a alma pras flores
E quando ouvir alguém falar no meu nome
Eu te juro que pode acreditar nos rumores

Me espera amor, que eu estou chegando
Depois do inverno, a vida em cores
Me espera amor, nossa temporada das flores




Ser diferente cobra um preço. Freqüentemente, o respeito de outros, mas é um pequeno preço a pagar pelo prazer de respeitar a si mesmo.

Sarah McCarty