quinta-feira, 22 de março de 2012

Começou hoje o Ano do Samba nos Diálogos Criativos




"Começou hoje o Ano do Samba nos Diálogos Criativos, um ciclo de encontros-show mensais totalmente gratuitos que de março a dezembro homenagearão o mais clássico e popular dos gêneros musicais brasileiros. O primeiro encontro, às 19:30 no Auditório da Livraria Siciliano (Midway Mall), Natal, rn, homenageou o maior sambista de todos os tempos: Noel Rosa. Contou com a participação de Carlos Freitas, da banda Preto Chique, que discorreu sobre as pegadas deixadas por Noel na história do samba, e com interpretações ao vivo de clássicos imortais do "poeta da vila" realizadas pelos sambistas Pedro Neto, Carlos Peru e Thiago da Hora.

No decorrer do ano, cada encontro trará um(a) facilitador(a) que apresentará autores, épocas e estilos diferentes da história do samba. As apresentações dos(as) facilitadores(as) serão intercaladas por interpretações ao vivo de clássicos do gênero realizadas pelos melhores sambistas potiguares, que mostrarão também trabalhos de sua autoria.

O propósito do projeto é contribuir para a divulgação dos artistas de qualidade e do bom samba que se faz no Rio Grande do Norte, assim como ajudar a promover e valorizar uma das mais importantes manifestações musicais e culturais brasileiras.

O Ano do Samba é uma parceria dos
Diálogos Criativos com a promoter de samba e eventos Preta Íris."

Fonte:http://dialogoscriativosnatal.blogspot.com.br/2012/03/quarta-feira-21-de-marco-comeca-o-ano.html#comment-form

Amei o encontro e definitivamente assistirei aos outros. Enquanto esperava começar, passei um tempo na livraria e encontrei meu futuro livro de cabeçeira: Quanto Mais Quentes Melhor: As Melhores Frases de Sexo do cinema, de Mariza Gualano.

 Sinopse:
Mariza Gualano fez tudo certo neste livro, da escolha da epígrafe até o fabuloso diálogo final.
Quem pensa que fazer uma compilação de frases sobre sexo é fácil, está redondamente enganado. Há que se conhecer muito bem o cinema, sua história, os milhares de filmes, seus diretores e atores, e ao mesmo tempo oferecer aos leitores um novo gozo.
Como diz Jung, na epígrafe, “o cinema torna possível experimentar sem perigo toda a excitação, paixão e desejo que devem ser reprimidos numa humanitária ordem de vida”.
Quanto mais quentes melhor tem o dom de recuperar para os leitores toda a excitação vivida nos filmes, e algo mais, que é a permanência de momentos inesquecíveis de humor, drama, ironia, recato, sedução, inocência, exagero, engano, moralidade, imoralidade, ilusão, atração, repulsão, sexo… e a totalidade do mundo que ao seu redor gira.
O diálogo final? Bem, neste caso, não há nenhuma contraindicação sobre começar o livro pelo fim:
-         Há uma coisa que precisamos fazer o mais rápido possível.
-         O quê?
-         Trepar.
Nicole Kidman e Tom Cruise, as últimas falas do filme De olhos bem fechados (1999)

Dei uma olhada no livro e ri tanto que só não comprei imediatamente porque estava descapitalizada; mas já está na lista de compras urgentes.
 

Um comentário: