segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

HISTÓRIAS DE TERROR E SUSPENSE 02





Jay Anson - 666 O Limiar do Inferno 
Sinopse:
666 revela o universo maléfico e aterrorizante que se esconde numa sólida mansão vitoriana, situada na Bremerton Road, 666. Com sua atmosfera densa, repleta de surpresas sombrias, o autor criou uma obra irresistível para os fãs do gênero e para todos aqueles que acreditam haver "mais coisas entre o céu e a terra do que supõe a nossa vã filosofia"

O livro é previsível do início ao fim, mas a atmosfera é tão angustiante que não importa. Você segue cena após cena com o impulso louco de advertir os protagonistas sobre os riscos que estão correndo e se enfurece pensando em como podem ser tão estúpidos, mas provavelmente é isso que o torna tão assustador: o fato de que o leitor pode pode perceber o Mal impregnado em cada página.
P.S. Depoi de ler dormi três noites com a luz acesa. Mico total!!!!!!!!!


Os Invasores de Corpos - Jack Finney

Sinopse:

Algo terrível está tomando conta daquela pequena cidade da Califórnia e transformando seus moradores em cópias de si mesmos. Eles são impostores, pessoas sem nenhuma emoção ou sentimento humanos. A metamorfose acontece, enquanto todos dormem silenciosamente. Eles são ativos durante a noite, quando a cidade dorme sem suspeitar do perigo.

Um dia, vegetais gigantes... Pouco tempo depois, seres vazios... O pesadelo de Mill Valley, uma pacata cidade da Califórnia subitamente invadida por estranhas criaturas. O drama de quem se vê obrigado a conviver com verdadeiros replicantes... mas replicantes do irmão, da mãe, do esposo ou do melhor amigo.

O livro inspirou vários filmes péssimos e, visivelmente, a Meyer, quando escreveu A Hospedeira. Mas ao contrário dos filmes, o livro é um bom suspense e prende da primeira a última página. Amo!

E os alienígenas não são bonzinhos! Com essa nova onda de todos-são-melhores-que-os-homo-sapiens (vampiros, lobisomens, alienígenas, zumbis - argh!) a solução é se agarrar aos clássicos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário